sábado, 1 de outubro de 2016

No silêncio

Madrugada vai mais da metade
O silêncio é reinante
Aditivado com taurina e cafeína
Sono vai mais que distante

Tempo bom esse que não há
Muitos afazeres por esperar
Compromissos e obrigações em seu lugar
Desespero se não me agilizar

O coração parece entrar numa festa
De ansiedade e reflexão
O que deve estar a esperar
Nesse mês que acaba de chegar

Juntos novamente os irmãos
Dentro de um tempo que não volta
Muito se quer
E muito se deve fazer

Talvez dormir até aconteça
Nesse mês que será bem corrido
A agenda de cor na cabeça
Começando com aniversário de Ivo

Antes festa na chegada de Nina
Acreana tão esperada
Que pela segunda vez voltará
À sua terra amada

Outubro, outubro esperado
À minha amada, minha paixão
Palavras já estou enferrujado
Rimas tão pobres aqui estão

domingo, 18 de setembro de 2016

Tente outra vez


Por vezes me li
E até sei por onde estive
Muito deixei de viver
Ou vivi e me contive

Sei que horas posso me reler
E ver por onde andei
Engraçado seria se não fosse
Relembrar o que chorei

Muito cobrado mas sempre pensei
Coração de leão não se domina
Quiçá a escrever voltarei
Novamente me entreter com a rima

Quero sim reavivar o melhor em mim
Expurgar o que não me interessa
Ser melhor ser humano sim
E ficar com o que presta

Sem prática certamente dificulta
Sem tempo então nem se fala
Mas saindo de mim para mim mesmo
Quem se importará com qualquer falha?